Uma Reflexão necessária para se ensinar melhor.

Isso é fato incontestável !!!
O Professor é um agente formador, transformador e capacitador das pessoas, sejam crianças, adolescentes, adultos, com as quais tem a felicidade de conviver transferindo o seu conhecimento.
Por isso, esse profissional deve ter um cuidado redobrado com a sua forma depensar, sentir e agir, pois influencia de forma determinante as atitudes e os comportamentos das pessoas para as quais leciona.
O Professor, enquanto profissional, tem a preocupação de se aprimorar,
identificar o melhor método para transferir o conhecimento, e acima de tudo, de acompanhar o desenvolvimento daqueles que dependem dele para avançar em seu desenvolvimento enquanto pessoa.
Dessa forma, deve reconhecer que é um profissional muito valioso !!!
No entanto, ele Professor, não se vê assim, e não se valoriza, e por
consequência não é valorizado como deve ser.

Com mudar esse quadro ?

Primeiro é necessário mudar o mindset, ou seja, o seu o modelo mental.
O Professor em sua formação conceitual, não é preparado para compreender a sua real responsabilidade como agente formador, transformador e capacitador de outras pessoas. Ou seja, como agente formador e/ou transformador de toda uma sociedade. E sem essa consciência se comporta como qualquer outro profissional.
Sem demérito das demais profissões, pois todas são muito importantes, mas a única que de fato forma, transforma, capacita é o Professor.
Pensemos: Um médico, para tornar-se médico, precisou de professores para o formar como tal. O mesmo se aplica para o engenheiro, o advogado, o jornalista, o nutricionista, e todas as demais profissões.
Uau, é verdade, o Professor é aquele que faz todas as demais profissões
existirem !!!

E por que não se reconhece como tal ?

Porque é um dos profissionais mais mal remunerado. E isso com certeza afeta a sua autoestima.
Conscientização do seu valor para melhor as suas conquistas.
Deepak Chopra, Professor na Universidade da Califórnia e autor de mais de 90 livros traduzidos em mais de 43 idiomas, ensina que toda a transformação pessoal começa com a forma como as pessoas se relacionam com o seu cérebro. Isto é, como pensam, e por que pensam de determinada maneira. E na maior parte das vezes, é o modelo mental da pessoa que a fragiliza e a impede de alcançar progresso no âmbito material e felicidade no âmbito social e espiritual.
Esse autor explica que as pessoas vivem numa matrix, e assim seus
comportamentos se mostram quase robotizados como se tivessem sido programados.
Quando olhamos para a forma de pensar, sentir e agir dos professores, a
assertiva se mostra bem realista, pois como dito acima, é o Profissional dos
profissionais, e em termos de reconhecimentos, social e financeiro, é um dos menos valorizados. Como podem aceitar tal situação?
Deepak Chopra explica que a maioria das pessoas é dominada por um cérebro robótico que veem as coisas como fixas para toda a vida. Mas que o cérebro é dinâmico, e segue na direção para a qual você o aponta. Dessa forma para que se obtenha uma mudança na forma como as pessoas percebem a importância do Professor, essa importância deve primeiro ser percebida por ele próprio. Deve ser propagada em sua fala, em seu comportamento e sua escrita.
Ilustrando a sua fala, o autor expõe que um monge budista meditando sobre a compaixão desenvolve o circuito do cérebro que traz a compaixão à realidade.
Dependendo da entrada que recebe, você pode criar um cérebro compassivo, um cérebro artístico, um cérebro sábio ou qualquer outro tipo. É por isso que seu cérebro é – ou deveria ser – seu relacionamento mais importante.
Se a pessoa pensar na experiência cotidiana como input para seu
relacionamento com seu cérebro, com suas ações e pensamentos como output, um ciclo de feedback é formado. O velho ditado sobre software de computador – lixo que entra, lixo que sai – se aplica a esses ciclos de feedback. As experiências tóxicas moldam o cérebro de maneira bem diferente das experiências saudáveis. A neurociência uniu forças com a genética para revelar que, até o nível do DNA, os ciclos de feedback que unem mente e corpo são profundamente alterados pelas informações que são alimentadas pelo cérebro.
Se o input é tudo, então a felicidade, a valorização e o bem-estar são criados
dando ao cérebro input positivo. Sem perceber, a pessoa está aqui para inspirar seu cérebro a ser o melhor possível. Isso é muito mais do que pensamento positivo, que muitas vezes é muito superficial e mascara a negatividade subjacente. A entrada que inspira o cérebro inclui uma ampla gama de coisas. Eles formam uma matriz com a pessoa no centro.
A reflexão necessária para se ensinar melhor é ter consciência de que você
Professor é o profissional dos profissionais e que por isso deve ser reconhecido, valorizado e remunerado como tal. Portanto, mude seu mindset, porte-se como o agente formador, transformador e capacitador que é. Tenha certeza de que merece mais, busque e conquiste esse mais.
Obtenha o SUCESSO que faz por merecer.
.

Artigos Relacionados

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments